Integrar Facebook e Twitter é uma boa estratégia?

Hoje em dia, o Facebook e o Twitter são consideradas as duas maiores redes sociais da internet. E muitas empresas e até perfis pessoais acabam integrando um ao outro no objetivo de otimizar o compartilhamento de conteúdo nas duas plataformas. No entanto, é uma boa estratégia manter o mesmo conteúdo nos dois lugares?

Apesar de serem gigantes na rede mundial de computadores, os consumidores de informação do Facebook e do Twitter são diferentes. Deve-se, então, usar o mesmo conteúdo, mas com focos diferentes na fan page e no microblog.

Uma coisa em comum é o trabalho com imagens e multimídia. Em ambos, o engajamento é superior ao que simplesmente um texto, cerca de 83%. Porém, caso você tenha sua fan page integrada ao Twitter e poste uma foto ou vídeo, ela não aparece no microblog, o que gera um link para sua postagem no Facebook – o que deixa esteticamente feio, como vemos neste exemplo das redes oficiais do Botafogo de Ribeirão Preto, de São Paulo.

Twitter
botsp_twitter

Facebook
botsp_face

O mesmo fenômeno ocorre caso poste no Twitter e vai para sua fan page ou conta pessoal. As fotos e vídeos postados vão para o Facebook como forma de link e isso é pouco atraente para os seguidores. Além disso, usando os dois exemplos acima, o mesmo conteúdo encontrado no Twitter é o mesmo no Facebook. O que também é esteticamente desagradável.

Públicos e frequência de postagens distintos

Outra diferença é a frequência de postagens. Na sua fan page no Facebook, os conteúdos compartilhados têm mais vida e duram muito mais nas timelines dos seus seguidores. Caso postem muitos em pouco espaço de tempo, irá “encher” a página inicial de seu fã, ele pode se sentir incomodado e pode até deixar te seguir. Portanto, cuidado com a frequência.

Já no Twitter, o conteúdo tem “vida útil” menor por conta da rotatividade do seu público. Portanto, postar sobre algum determinado assunto várias vezes ao dia não é um erro. O que ajudou bastante os gerenciadores de perfis no microblog é que a partir do segundo semestre de 2016, as imagens e os links deixaram de contar nos 140 caracteres, aumentando, assim, a qualidade do texto relacionado à imagem ou ao vídeo.

Seguindo essas dicas, a partir de agora irá repensar sobre suas abordagens no Facebook e Twitter, especificamente neste artigo. Mas essas estratégias servem para outras redes sociais que estão em crescimento. O mais importante é explorar seu conteúdo da melhor forma em cada plataforma para obter resultados, como cliques, compartilhamentos e seguidores daqui para frente.

Anderson Lima

Anderson Lima

Fundador e diretor-executivo da Agência AMS. Bacharel em Jornalismo e Sistemas de Informação, certificado em marketing de conteúdo e fotógrafo. Atua na área de comunicação desde 2010, incluindo assessoria de imprensa, audiovisual, impresso e digital.